Relacionamentos duradouros

João Bosco Leal

Em busca de relacionamentos mais duradouros e até permanentes, todos questionam as atitudes necessárias para que isso ocorra, como paciência, diálogo, compreensão e renúncia, mas na realidade não existe uma fórmula para a felicidade de um casal.

As paixões iniciais são passageiras e o que realmente perdurará, a amizade, a cumplicidade e o companheirismo, podem e devem ser criados com o tempo.

Em décadas passadas – e em determinadas culturas ainda agora -, os casamentos eram determinados pelos pais, com os noivos ainda crianças. A submissão feminina da época ou em países com essas culturas é que determinava a longevidade dos casamentos, independentemente se promovendo ou não a felicidade do casal.

Atualmente, na maioria dos países, as pessoas podem passear e caminhar de mãos dadas, assistir a filmes ou peças de teatro, ler livros, frequentar qualquer local ou ambiente e viajar juntas, sem a necessidade sequer de estarem namorando.

Essa convivência certamente poderá aprofundar sua amizade e criar afinidades que as aproximarão cada vez mais, abrindo a possibilidade para um relacionamento com bases muito mais sólidas do que aquele iniciado com uma simples paixão.

Só com a maturidade, quando já não se dá importância para aquelas paixões mais comuns na juventude, de origens físicas e pouco racionais, mas se busca alguém com valores éticos, morais, educação, cultura, interesses e objetivos comuns, se adquire esse entendimento.

Nessa fase, entendemos a importância não só de demonstrar, mas de falar sobre nossos sentimentos, de nos declarar, em particular ou publicamente para a pessoa amada, pouco nos importando o que dirão os que estão próximos.

Já entendemos a importância de interromper a leitura de um jornal para fazer uma declaração elogiando seu par que chega, valorizando sua roupa, sua beleza, o novo corte de cabelo que realçou sua jovialidade, mesmo quando isso não expressa uma realidade cronológica, e possuímos a delicadeza de, voltando do mercado, surpreendê-la por ter adquirido a fruta de sua preferência, ou trazendo-lhe uma flor quando menos espera.

Com atitudes e demonstrações de carinho, afeto, amizade e companheirismo, os laços vão se estreitando, de modo que cada um passe a sentir a ausência do outro e a necessidade de com ele dividir suas ideias, planos, sucessos, dificuldades e frustrações.

A participação de cada um nos mais variados temas da vida de seu par vai tornando o casal mais próximo, íntimo, participativo de detalhes muitas vezes estranhos à própria família do outro. Esse envolvimento cria situações de cumplicidade e amizade raras.

Construído diária e progressivamente sobre raízes sólidas, adubadas constantemente com atitudes pequenas, mas importantes, um relacionamento maduro aumenta à medida que os dois se conhecem, descobrem suas dificuldades, costumes, manias, qualidades e virtudes, surgindo daí o amor verdadeiro, real e duradouro.

Colocando na balança todos estes ingredientes, procurando o equilíbrio, os dois acabarão percebendo que no outro existem muitas qualidades e que o carinho e a cooperação superarão os poucos defeitos de cada um deles. 

O relacionamento duradouro é aquele onde existe o interesse mútuo em sua criação e manutenção, mesmo quando inicialmente os parceiros não se amam.

Publicado por: A Agonia de Prometeu ; Antonio C. RibeiroA Crítica ; A Pérola do Mamoré ; Blog do AugustoBlog do Caxorrão ; Blog do EscritorBlog do Meireles ; Blog do Reinaldo SantosBloglog ; Bloglovin’ ; Blog Top SitesChico Bruno ; Debates Culturais ; Dig NowDiversos Assuntos & Diversos AutoresDourados News ; Eduardo Homem de Carvalho ; Fique AlertaHorizonte MS ; Jornal Bandeirantes News ;  LiberdadeLibertatumMabel News ; O Cão Que Fuma ; O Santo OfícioPapo LivrePaz – Blog Luso Brasileiro ; Pedro da Veiga ; Prosa & PolíticaQuando a Máscara Cai ; ReflexãoSaúde do Espírito, Alma e CorpoSeu PostTabocas Notícias ; Tribuna do PovoTudo do MS ; Ucho.infoValter Vieira ; Z Castel ;

8 Comentários Deixe o seu comentário

  1. Ângela Maria Gurgel (Gugu) disse:

    Concordo com você João, as paixões acabam, mas o encantamento com o outro nas mais diversas áreas, a amizade, a cumplicidade e o companheirismo prevalecem para o relacionamento duradouro. Gostei muito de ler este texto. Parabéns e obrigada pelas reflexões oportunas neste momento! Abraços, Gugu.

  2. Mardô Goys disse:

    Muito verdadeiro e lógico João…infelizmente descobrimos com a maturidade a importância desses valores e atitudes essenciais em qualquer relacionamento. É muito frustrante que quando nos damos conta da importância desses valores, o relacionamento já está desgastado. “o amor inicia com felicidade e na maioria acaba em tristeza”. Bjos e ótima semana para você…

  3. Heliana Lacerda Dal Fabbro disse:

    Parabéns pelo seu texto, que de maneira clara e concisa, mostra o passo à passo para se ter um relacionamento duradouro, estável e feliz. Suas pontuações são valiosas em qualquer época de nossas vidas e nos ajudam sempre. Abraços e obrigada João Bosco.
    Heliana

  4. Nelma Araújo disse:

    O amor é o que nos torna humanos. Sentimentos verdadeiros perduram. Sejamos incansáveis nessa busca de felicidade, cumplicidade e doação que é a convivência de um casal.

  5. Matilde Piovesana disse:

    Bom demais João Bosco…sempre com ótimas conclusões !!!
    Obrigada !!
    Ma

  6. Vanderlice Matos disse:

    Perfeito…!!!!

  7. Monica Paim disse:

    Parabéns João Bosco!!

    Muito bom seu texto!!!

    um abraço

    Mônica

  8. Márcia Abreu disse:

    A amizade é o início de tudo…afinidade,empatia incorporam os ingredientes para uma relação saudável!
    E o amor vai crescendo na medida que descobrimos outros aspectos interessantes para compartilhar nossa vida com nosso(a) parceiro(a).
    Criar vínculos…amar é maravilhoso !!!!
    Bonita a abordagem que vc deu ao texto !
    Abs.

Deixe sua resposta