Os que mais falam mal de nós são os que mais nos admiram?

José Valdeci de Souza Martins (*)

Se meus inimigos pararem de dizer mentiras a meu respeito, eu paro de dizer verdades a respeito deles. Adlai Stevenson.

As pessoas falam de nós! É claro que falam bem, mas é verdade que também falam mal. Quero dizer com isso que, praticamente todas as pessoas já vivenciaram a situação de Pedras, ou do próprio Jesus, que mesmo sendo justo, sofreu grandes calúnias e até mesmo a experiência da cruz.

Já ouvistes dizer: “Quanto mais me bates mais eu gosto de ti?” Esta frase se aplica na mesma situação. As pessoas que falam mal de nós muitas vezes sentem inveja daquilo que somos, ou do que fazemos. Mas pode não ser somente inveja. Por exemplo: se há uma pessoa que fala mal de você, talvez ela esteja perdidamente apaixonada por você, mas pode não querer admitir, por vergonha ou por outra razão qualquer. Não devemos dar atenção aos comentários que não são verdadeiros. Devemos nos orgulhar no que é verdadeiro, e não nos importar com os outros. Porque os verdadeiros amigos ficam sempre.

Mesmo sabendo que somos amados e odiados ao mesmo tempo, graças a Deus estamos sempre rodeados por muitos amigos, muitos mesmo, mas infelizmente, há algumas pessoas que, às vezes se dizem nossos amigos, mas que ficam espalhando absurdos sobre nós, imerecidamente, mesmo se não estamos fazendo, ou não fizemos nada contra eles (que lembremos), e o pior, sempre haverá quem acredite! Sempre que alguém falar mal de nós, devemos manter-nos felizes, pois é sinal de que estamos bem, afinal, aqueles que mais falam mal de nós são os que mais nos admiram. Que queira ser isso verdade!

Às vezes se torna um tanto difícil suportar, saber que há pessoas que querem nos agredir com palavras e boatos que tentam manchar nossa imagem diante da sociedade. A única coisa que nos conforta e acalma é saber que nosso Deus há de nos ajudar a superar essa fase, enquanto desejamos que Ele incuta no coração de quem “tenta nos fazer mal” o amor à seu irmão.

Todos nós, com certeza, já passamos ou estamos passando por esse tipo de situação. Talvez ouçamos que fulano falou de nós para sicrano. E falou mal! Quando isso acontece, o que fazer? Como costuma ser a nossa reação? Certa vez, ouvi um discurso de um rapaz que falava de um texto bíblico. Eclesiastes 7:22, 23. (Se tiverem bíblia leiam, por favor.) Em suma, dizia que: quem somos nós para revidar, quando nós mesmos falamos mal de muitas pessoas… e isso tocou-me profundamente. Ajudou-me a não revidar imediatamente.

Confessemos, porém, que nem sempre conseguimos. Ás vezes, a indignação é muito grande! Imagine a situação em que ouvimos alguém falando mal de nós próprios? É difícil não é mesmo? Ao menos o nosso sangue ferve na hora, dependendo do que a pessoa está falando, é uma situação muito desagradável… Em suma, lógico que devemos procurar “entender”, perdoar, deixar para lá… mas dependendo do que falarem e do que chegar ao nosso conhecimento… nem sempre conseguimos deixar para lá.

Às vezes, o melhor mesmo é deixar para lá, pois o tempo é o melhor remédio, ou até mesmo veneno, com o tempo as coisas “clareiam” e se esclarecem por si só… só a verdade prevalece.

Particularmente sou alvo fácil de falarem de mim, porque falo o que penso e que a maioria pensa e não têm coragem de dizer. Antigamente, dependendo do que falavam de mim, acusando-me de algo que não fiz, ia até as últimas conseqüências para provar que era mentira, odeio que me atribuam coisas das quais não fiz, e pior ainda, quando tais coisas não fazem parte de minha índole. Hoje, com a experiência já vivida, em alguns casos, podem falar à vontade. Simplesmente ignoro. Tenho a seguinte concepção – quando alguém fala mal de mim é porque tem muita inveja, ou porque gostaria de ser pelo menos 10% (dez por cento) do que sou e não tem coragem… isso mesmo: o contrário! Nunca despreze o que falam de você! Tudo o que dizem a seu respeito poderá lhe servir como um caminho de crescimento. Por isso, valha-se de tudo para ser melhor, mesmo quando se tratar de um grande absurdo.

E não tenha medo das pessoas pensarem que você assumiu o que foi dito; ao contrário, siga outra trilha – a sua! – e vá além, desejoso de aprender, crescer, melhorar mesmo nas mínimas coisas, e também na paciência. Daqui a pouco, você vai aprender a sorrir com o que, antes, costumava tirá-lo do sério. Que Jesus nos ilumine hoje e sempre. Cuidemos da nossa vida. Se tivermos consciência do que somos, e de que não somos o que as pessoas dizem de nós, devemos parar nos incomodar. Útil também é não nos esquecermos de que as pessoas só fazem conosco o que nós permitimos que elas façam.

Não devemos dar importância aos que falam de nós. Apenas ignorá-los. Cada um dá o que tem. Porém se no fundo do seu coração achar que algo precisa e pode ser mudado, e que talvez melhore os relacionamentos e a vida social, então, mude! Sabemos que é difícil, mas não guardemos rancores. Voltemos os nossos corações para Deus, e comecemos o dia sempre orando para essas pessoas, que você logo verá que a situação poderá se converter num gratificante retorno. O ostracismo é morte em vida, o desterro involuntário, há vida no compartilhar emoções com os outros, a misantropia é funesta, o Homem recluso dos seus semelhantes. Para as pessoas que falam mal de nós, só posso dar essa resposta: ser sempre eu, pedir forças a Deus, para pecar menos e ir em frente.

(*) Valdeci Martins. Membro da União Brasileira de Escritores – UBE-MS, Bacharel em Adm. de Empresas Policial Militar – Cb. PM. Graduado e Pós-Graduado em Estudos de Política e Estratégia pela UCDB/ADESG, XXI CEPE. 

Publicado por:  Recebido por e-mail do autor

2 Comentários Deixe o seu comentário

  1. Sheila Michele disse:

    Obrigada !
    Depois que li me senti bem melhor.

  2. jana disse:

    na minha opinião pessoas que falam mal dos outros, sentem se inferiores, e para não olhar para as próprias feridas preferem focar na vida do próximo. Eu penso assim para tirar o arqueiro do olho do seu irmão vc deve tirar o do seu primeiro.

Deixe sua resposta